Como ajudar as crianças com os números

Uma criança de quatro anos pergunta à mãe quantos anos a avó tem. A mãe responde que ela tem 60 anos. Será que a criança entendeu que a avó é mais velha? O psicólogo e professor de Matemática, Marcos Meier, tem certeza de que não. Para ele, a compreensão das crianças em relação aos números só existe quando proposta na realidade em que elas vivem. “As crianças são muito inteligentes e precisam da lógica para gostar e entender a matemática desde cedo”, defende. Mas, então, como ajudar as crianças com os números?

A brincadeira pode ser um caminho

Marcos Meier usa novamente os 60 anos da avó para ensinar uma atividade que pode ser feita aí na sua casa com cartolina, cola branca, caneta colorida e grãos de feijão ou milho. A brincadeira é fácil: a ideia é colar 60 grãos dentro de um quadrado. “Ao final, a criança vai ficar espantada com a quantidade de aniversários que a avó já fez. Isso porque viu o número materializado”, explica o psicólogo.

Para que a criança estabeleça comparações, a brincadeira pode continuar. A mãe pode dar uma caneta colorida e pedir ao filho que circule o número de grãos que correspondem à sua idade ajudando a criança na contagem. “É uma brincadeira simples, mas a criança começa a entender que, quanto maior o número, maior a quantidade de elementos dentro dele”, defende.

Gostou? Então, anota aí outras atividades que podem ser feitas em casa para ajudar as crianças com os números:

Lógica é mágica

Pegue dois ou três tubos de papelão, daqueles que vêm dentro do papel higiênico. Una os rolos com fita adesiva. Faça duas bolas de papel branco amassado e uma bola de papel colorido. Mostre as bolinhas para a criança e pergunte de que cor será a primeira bola que vai atravessar o tubo. Repita outras vezes invertendo as cores. “A imaginação é tão fértil que, no início, ela imagina que pode sair qualquer cor. À medida que ela vê que, quando entra a bola branca e sai da mesma cor, a brincadeira passa a ter lógica para ela”.

Aprendendo a contar

Essa brincadeira pode ser feita no momento da refeição. A mãe pode ir afastando os grãos de feijão e contando junto com a criança. Aos poucos, ela vai entender que, com cinco grãos, sobra espaço na colher, mas, com 20, a colher fica cheia. “Só aí já são trabalhados os conceitos de quantidade e proporção. Toda situação que levar a criança a estimar um resultado vai ajudar na alfabetização da matemática”, explica.

Leia mais:

O ensino da matemática no Programa Encontro, com Fátima Bernardes 
Cozinha também é sala de aula