Educação inclusiva: uma escola melhor para todos

Criar meios para tornar o aprendizado mais acessível ajuda a desenvolver um ambiente sadio para todos

O acolhimento das pessoas com deficiências sensoriais e motoras, síndromes, altas habilidades/superdotação ou transtornos de desenvolvimento no ambiente escolar é uma garantia tanto do direito à educação quanto do direito à acessibilidade. Ao trabalhar a educação inclusiva, ou seja, a adoção de práticas que consideram a melhora do ambiente e da rotina escolar para todos, a instituição de ensino gera resultados para os alunos, suas famílias e toda a comunidade escolar.

Acessibilidade

Nos debates sobre inclusão, este é um dos primeiros critérios a ser avaliado. Ao definir o que é ambiente acessível, uma das primeiras exigências é permitir a todos que transitem com tranquilidade e sem dificuldades, o que inclui a instalação de rampas e elevadores. Mas, no ambiente escolar, o termo vai além das estruturas e espaços e chega até as metodologias. É possível, por exemplo, analisar se os planos de aula da escola exploram diferentes estilos de aprendizagem e se os recursos utilizados são de fácil compreensão, mesmo para os alunos que têm deficiência auditiva/surdez ou deficiência visual. As equipes pedagógicas devem trabalhar em conjunto para elaborar estratégias de ensino que considerem os alunos com deficiência, altas habilidades e transtornos globais do desenvolvimento.

Respeito à individualidade

Se a educação inclusiva é um meio para oferecer um ambiente sadio para todos, a sua prática passa por analisar todas as formas de aprendizado que existem e encontrar uma maneira de integrar a preferência de cada aluno. Observando os estudantes é possível notar as particularidades no processo de ensino. Por exemplo: Quais deles gostam de aprender de forma lúdica, por meio de metáforas, histórias e jogos? Quantos preferem tirar suas dúvidas direto com um professor? Para quantos deles o envolvimento com a família (em atividades e nas lições de casa) interfere positivamente na compreensão e absorção de informações e também? Em quais situações o uso da tecnologia pode ajudar? 

Além de considerar toda forma de aprendizado, também é importante envolver todos os agentes desse processo: o professor, a equipe de gestão da instituição de ensino, as famílias dos alunos e os próprios estudantes. O trabalho em conjunto fortalece a parceria pelo propósito da educação inclusiva. 

Quer saber mais? Acesse o guia “Hora de incluir – Primeiros passos para a inclusão no contexto educacional”, do Sistema Positivo de Ensino , com explicações sobre a importância da educação inclusiva para a criação de um ambiente escolar saudável e orientações para fazer essa aplicação.