Ensino bilíngue: quando iniciar o aprendizado de uma segunda língua?

Estudos mostram as vantagens de iniciar o aprendizado de uma segunda língua logo nos primeiros anos de vida

Muitos pais e mães se questionam sobre qual o momento ideal para expor seus filhos ao aprendizado de uma segunda língua. É muito comum termos o receio de que inserir um novo idioma – em paralelo ao aprendizado da língua nativa – possa causar confusão e até retardar a fala. E aí fica o dilema: matricular ou não o filho numa escola com ensino bilíngue desde os primeiros anos de vida?

Janela de oportunidades

Um estudo realizado na Inglaterra pelo Kings College e pela Brown University mostra que o cérebro de uma criança entre 6 meses e 4 anos de idade possui o que se chama de “janela de oportunidades”. Nesse período – um momento especial durante o desenvolvimento – a influência exterior sobre as habilidades cognitivas pode ser maior e determinante. Nessa fase, se os neurônios forem estimulados, farão novas conexões e circuitos de linguagem. Isso explica porque quanto mais cedo a criança aprende um segundo idioma, maiores as chances dela se tornar fluente no futuro.

Vantagens

No campo de estudo sobre o bilinguismo, a cada dia surgem novas evidências a respeito das vantagens de crianças aprenderem simultaneamente duas línguas. Uma delas indica que quanto mais cedo a criança é exposta a diferentes idiomas, melhor será o processamento fonológico, permitindo que ela aprenda a falar sem sotaque e adquira as nuanças da língua como um nativo. Existem ainda as vantagens secundárias, que decorrem do aprendizado de um novo idioma. Algo que vai muito além de apenas compreender e falar outra língua. Os estudos destacam a importância do bilinguismo para o desenvolvimento das chamadas funções executivas, que controlam a atenção e a capacidade de planejar e antecipar ações. Em outras palavras: crianças com completo domínio sobre duas línguas são mais ágeis para usar o cérebro e mais flexíveis para adaptá-lo a novas situações.

Outro aspecto estudado e já consolidado sobre o assunto trata das vantagens do aprendizado ser simultâneo e não sucessivo. Especialistas afirmam que quando a criança aprende um segundo idioma ao mesmo tempo em que está aprendendo a falar a língua nativa, as palavras das duas línguas ficam armazenadas e relacionadas em áreas mais próximas do cérebro, o que facilita o acesso e o intercâmbio entre as mesmas e torna o processo mais automático e eficiente. Um estudo publicado este ano por pesquisadores do Baby Lab, da Universidade de Princeton, mostra que as mesmas características de bilíngues adultos foram identificadas em bebês de 20 meses, mostrando que ambos são capazes de mudar de uma língua para outra com facilidade e sem esforço adicional para o cérebro.

Leia mais:

Seus filhos já sabem inglês melhor do que você? 
Inglês na escola: a evolução do ensino