Ensino Fundamental e Ensino Médio: como deve ser a nova escola

Na difícil missão de decidir qual o melhor colégio, veja o que pode ser levado em conta para definir como deve ser a nova escola 

O fim da Educação Infantil é um marco na vida escolar de uma criança. Nessa fase, muitos pais se veem obrigados a trocar o filho de escola, já que algumas instituições não oferecem a opção de continuidade. Essa transição de ambiente, assim como a passagem para o Ensino Fundamental, deve ser feita de forma natural, sem pressões ou expectativas que possam gerar ansiedade no aluno.

Levar a criança para conhecer o novo espaço antes do início das aulas ajuda a despertar a curiosidade e a vontade de experimentar o novo. A escolha do novo colégio requer cuidados e deixa muitos pais perdidos, sem saber o que levar em conta ou quais critérios priorizar. Como deve ser a nova escola?

Formas alternativas e inovadoras de aprendizagem

O mais relevante, nessa hora, é observar de que forma a instituição se propõe a ensinar o seu filho. A atual geração interage com o conhecimento de maneira muito diferente das gerações anteriores, utilizando, para isso, múltiplos canais. Portanto, para conquistar o aluno, a escola precisa considerar formas alternativas e inovadoras de aprendizagem, sendo indispensável o uso de ferramentas tecnológicas que garantam o máximo de interação entre professores, alunos e o conteúdo que se pretende ensinar.

Período integral

Por conta da rotina profissional de pais e mães, um número cada vez maior de alunos acaba permanecendo na escola em regime de período integral. Nesses casos, os pais devem ficar atentos para identificar se as atividades oferecidas para a expansão da permanência na escola não são apenas ‘mais do mesmo’.

O contraturno deve oferecer opções diversificadas e em espaços diferentes daqueles destinados para a atividade regular. Atividades como gastronomia, línguas estrangeiras, esportes, artes e até meditação despertam o interesse dos estudantes e ajudam a desenvolver novas habilidades. A escola deve garantir também espaço e acompanhamento para a realização das tarefas de casa, além de um tempo para que o aluno crie o hábito de estudar os conteúdos trabalhados em sala de aula. Quando a escola consegue oferecer ao aluno todas as condições para que ele cumpra com a sua rotina de estudos dentro do ambiente escolar, dispensa a necessidade de retomar essas obrigações quando se chega em casa, no fim do dia, deixando o estudante livre para as interações familiares.

Ensino Médio

Fase de transição entre a escola e a universidade, o Ensino Médio é o momento em que o aluno precisa desenvolver – ou reforçar – a autonomia. Nessa hora, a escola deve oferecer ao estudante oportunidades de discussão que ampliem a capacidade de argumentação, fundamental para que o jovem consiga elaborar e organizar suas ideias. Para este período, o jovem precisa de uma escola que invista na qualidade da comunicação, no domínio de outras línguas e culturas e no valor do trabalho em equipe – requisitos fundamentais para que a escola cumpra bem o papel de formar os bons profissionais do futuro.

Leia mais:

Só a aprovação no vestibular importa?
Dicas para a melhor preparação antes do Enem