Guarda compartilhada: o papel dos pais na vida escolar dos filhos

Ninguém começa uma família pensando em separá-la. Pelo menos, essa é a regra. Mas separações acontecem e, aí, as decisões do ex-casal têm enorme influência na vida dos filhos. Como fica, por exemplo, o papel dos pais na vida escolar?

Desde 2014, com a Lei 13.058, a guarda compartilhada é padrão nos casos de separação conjugal. Ela estabelece que “o tempo de convívio com os filhos deve ser dividido de forma equilibrada com a mãe e com o pai, sempre tendo como objetivo as condições fáticas e os interesses dos filhos”.

E, na prática, como isso deve ser conduzido?

Para a psicóloga Camyle Hart, em relação ao papel dos pais na vida escolar, o ideal é que haja mesmo o envolvimento mútuo. “Ambos irem às reuniões e apresentações da escola, acompanharem as notas, as datas das provas e os nomes dos amigos, por exemplo, demonstrando interesse e transmitindo a segurança necessária ao desenvolvimento emocional saudável do filho”, exemplifica.

Se você está achando difícil colocar essa sugestão em prática ou se acredita que a outra parte não vai se envolver como deveria, que tal tomar a iniciativa em nome dos filhos?

Dicas

Quando receber o comunicado para uma reunião, por exemplo, avise o seu(a sua) ex sobre o local e o horário, caso ele(ela) não tenha recebido a mesma notificação. Se você não puder ir, ligue depois para ele(ela) para se inteirar sobre o que foi dito. Outra dica é quando o filho pedir ajuda na lição de matemática, sugerir que ele ligue para o pai(mãe) que “sempre teve facilidade com cálculo”. Manter uma postura respeitosa e equilibrada e reconhecer no outro as habilidades ou qualidades que ele(ela) tem certamente passam aos filhos lições de respeito.

Atenção à lição de casa

Outro detalhe importante nessa rotina é a lição de casa. Por mais que o tempo com os filhos seja curto, pai e mãe devem estar atentos à realização das tarefas. “Muitos filhos ficam uma semana na casa do pai, outra na casa da mãe. Em alguns casos até um dia com o pai, outro com a mãe. Só mesmo com os dois ‘falando a mesma língua’, os filhos terão a segurança de que precisam para se desenvolver integralmente”, afirma Camyle.

Escola é parceira

Quando há dúvidas ou conflitos, a escola também deve ser consultada e pode ser uma forte aliada. O professor é parceiro das famílias e, por estar em contato direto com os estudantes, percebe quando estão precisando de uma atenção a mais. Nas escolas conveniadas ao Sistema Positivo de Ensino, com uma proposta de ensino interacionista, o aluno não é preparado apenas para a aprendizagem de conteúdos conceituais. Suas características individuais são consideradas. Afinal, não há separação entre vida e educação.

Leia mais:

Mães e pais no WhatsApp: dicas de bom comportamento
Seis dicas para o seu filho gostar de ler