Letras invertidas. É comum as crianças escreverem assim? O que fazer?

Veja quatro orientações para ajudar seu filho a desvirar as letras invertidas

Antes de continuar a leitura deste texto, vale uma dica importante para pais e mães de crianças que estão aprendendo a ler e a escrever: evite ao máximo dizer que seu filho ou sua filha “fez errado” quando desenhou, por exemplo, o número “3” ou a letra “Z” ao contrário. Letras invertidas fazem parte do processo de alfabetização.

Ainda na Educação Infantil, habilidades como atenção, memória, percepção do espaço e coordenação motora começam a ser desenvolvidas com o brincar. Enquanto brinca, a criança aprimora a linguagem e desenvolve a concentração, a atenção e a autonomia, que vão levá-la a perceber, entre outras coisas, que a escrita é da esquerda para a direita, no caso da Língua Portuguesa.

“Na Educação Infantil, os alunos ainda estão entendendo o sentido (lateralidade) da escrita e o grafismo (traçado) das letras. Vamos aprimorando, aos poucos, e estimulando o aprendizado de diversas formas. Quando chegam ao Pré II ou ao 1º ano do Ensino Fundamental, vamos sistematizando o processo de escrita e o aluno aprende naturalmente a forma correta”, explica a coordenadora da Educação Infantil do Colégio Positivo Ambiental de Curitiba, Hanniny Mesquita.

Então, é comum que, nesse caminho de desafios e descobertas, as crianças escrevam números e letras invertidas sem qualquer motivo de preocupação. Em casa, os pais podem reforçar o trabalho feito em sala de aula. Como? Lembrando-se da afirmação que abriu este texto: é fundamental que a criança não associe as letras invertidas ao erro. Tal associação pode travar o processo e prejudicar o desempenho dos pequenos. Que tal parabenizar a evolução e as conquistas no lugar de apontar o “erro”? Os resultados serão muito mais positivos.

Veja algumas dicas sobre como ajudar seu filho a “desvirar” as letras invertidas, incentivando a autonomia dele:

  1. Pergunte se é assim mesmo que se escreve o Z, por exemplo, ou a letra espelhada que ele tenha escrito. Depois, sugira que vocês procurem juntos essa letra em um livro, uma revista ou um gibi.
  2. No banho, incentive a criança a brincar com o vapor e escreva a letra no box.
  3. Comece a fazer a metade da letra e deixe que a criança desenhe o restante sozinha.
  4. Dê um saco para a criança com letras móveis (aquelas feitas de EVA) e peça a ela para separar as letras retas das curvas. Ex: S, J e B são curvas; L, M e I são retas.

Leia mais:

Alfabetização: seu filho compreende o que lê?
Dicas práticas para ajudar os filhos a ler e a escrever