Lição de casa e WhatsApp: o dever é do aluno

Por que recorrer aos grupos de mães e pais para discutir a lição de casa dos filhos pode não ser uma boa ideia?

A cena é comum: você está ajudando seu filho a fazer a lição de casa e surge uma dúvida. Nesse momento, uma das soluções que vêm à cabeça é perguntar no grupo de mães e pais de alunos no WhatsApp se alguém pode ajudar. Já passou por essa tentação?

Fabiula Gonçalves Galina, gestora do 6º e 7º anos do Ensino Fundamental do Colégio Positivo Júnior, em Curitiba, explica que a tecnologia é muito importante para estabelecer o contato entre família e escola, porém com foco e responsabilidade. “É uma faca de dois gumes”, alerta. “A utilização do WhatsApp nesse caso pode até ajudar, mas também trazer novas indagações ou comentários inapropriados que podem tomar grandes proporções”.

Exemplo disso, a gestora relata, são pais e mães que expõem um episódio de seus filhos envolvendo colegas, expondo o filho de outras famílias ou, até mesmo, professores. Por isso, a indicação é sempre procurar a escola.

Com ou sem WhatsApp, como ajudar?

Para tirar dúvidas, a recomendação é buscar, em primeiro lugar, ferramentas oferecidas pelas instituições adequadas às necessidades dos alunos. Entretanto, a professora ressalta que a lição de casa exige as percepções próprias do estudante, pois avalia o que ele entendeu ou não do conteúdo repassado. Ou seja, é fundamental monitorar a realização das atividades, mas não fazer por eles. “Não é sentar ao lado para fazer junto, mas monitorar, criar uma rotina, estabelecendo horários”, explica.

A rotina ideal, segundo Fabiula, depende da faixa etária de cada aluno, mas deve começar desde cedo. “Ainda na Educação Infantil, é essencial que se estabeleça horário para dormir, acordar, fazer as refeições e a higiene, por exemplo”, lembra.

Veja as recomendações quanto ao período de estudo fora de sala de aula (lembrando que é importante que sejam feitos intervalos, preferencialmente entre o estudo de diferentes disciplinas):

  • Ensino Fundamental – Anos Iniciais: cerca de 30 minutos
  • Ensino Fundamental – Anos Finais: uma hora e meia
  • Ensino Médio: ao menos duas horas

Alunos no WhatsApp. Pode?

Se o uso do aplicativo pelos pais para intervir na lição de casa ainda é polêmico, sua utilização pelos próprios estudantes pode ser bem-vinda, segundo Fabiula. Ela lembra, porém, que usar o WhatsApp para fins educativos não é para todo mundo: “É preciso maturidade para realmente focar naquele momento de troca via rede social e evitar que a conversa canalize para outros assuntos”, finaliza.

Leia mais:

Mães e pais no WhatsApp: dicas de bom comportamento 
Dicas para incluir a lição de casa na rotina das crianças