Novo Ensino Médio: conheça as mudanças previstas

A implantação do Novo Ensino Médio não deverá acontecer até 2018

O Ensino Médio mudou. Em fevereiro deste ano, foi sancionada a tão esperada reforma do Ensino Médio, que terá uma parte comum e obrigatória a todas as escolas e outra parte flexível.

Mas ainda vai levar um bom tempo para que pais e alunos percebam as diferenças na prática. A implantação do Novo Ensino Médio não deverá acontecer até 2018, pelo menos, já que depende da aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), uma espécie de guia que estabelece o currículo da Educação Básica em todas as escolas do país. Confira as principais mudanças.

O que muda com a reforma do Ensino Médio?

São duas mudanças principais: o Ensino Médio passará a ser integral, e o currículo terá disciplinas optativas. Nesse caso, o aluno vai cursar o 1º ano e, ao passar para o 2º ano, poderá escolher uma entre cinco áreas para aprofundar seus estudos.

Que áreas são essas?

  • Ciências Humanas
  • Ciências da Natureza
  • Linguagens
  • Matemática
  • Formação Técnica e Profissional

O aluno só poderá optar por uma delas?

Não, pode cursar quantas quiser, desde que uma de cada vez. Nesse caso, ele levará mais tempo para concluir os estudos.

A mudança no Ensino Médio vale apenas para escolas públicas?

Não. O novo Ensino Médio vale para todas as escolas brasileiras, públicas e particulares. É importante destacar que as escolas não são obrigadas a oferecer as cinco áreas, mas devem contar com pelo menos uma delas.

Quais disciplinas serão obrigatórias?

Português e Matemática são obrigatórias em todos os anos do Ensino Médio. Inglês é obrigatório a partir do 6º ano do Ensino Fundamental até o 2º ano do Ensino Médio, quando começa a parte flexível do currículo. As outras disciplinas serão obrigatórias apenas no 1º ano.

E se o aluno escolher a área “Formação Técnica e Profissional”, como vai funcionar?

Para que fique bem claro, vamos traçar um paralelo com a forma como funciona hoje. Atualmente, o aluno que opta pelo Ensino Técnico precisa cursar 1 200 horas nas disciplinas específicas e mais 2 400 horas no Ensino Médio. O novo modelo permite que ele cumpra a carga horária para a formação técnica dentro da carga horária do ensino regular, desde que faça as disciplinas obrigatórias para todos os estudantes. Assim, ao final dos três anos, ele terá um diploma do Ensino Médio e um certificado do Ensino Técnico.

Na prática, quando a mudança passa a valer?

Assim que a Base Nacional Comum Curricular for homologada. Isso deve acontecer ainda em 2017. Em 2018, depois de conhecer o que determina a BNCC, as escolas terão que elaborar  um cronograma e explicar como vão implantar as medidas. Ou seja, na prática, as mudanças devem ser percebidas em 2019.

Já é assim em outros países?

Sim. Em países como Estados Unidos, Coreia do Sul e Finlândia, a grade curricular é mais flexível, o que permite que o aluno se aprofunde nas áreas que mais lhe interessam.

O Ensino Médio será integral em todas as escolas?

Sim, mas essa mudança vai levar mais tempo para acontecer, isso porque, no caso das escolas públicas, é preciso fazer uma adequação no orçamento para arcar com os custos.

Leia mais:

Só a aprovação no vestibular importa?
Dicas para a melhor preparação antes do Enem