Seu filho pode aprender inglês brincando

A indicação de apresentar o idioma cada vez mais cedo aos alunos e as novas propostas pedagógicas permitem às crianças aprender inglês brincando

Muitos de nós, adultos, não têm boas recordações da época em que eram “obrigados” a aprender inglês na escola. A carga horária da disciplina era reduzida, as aulas eram monótonas e a proposta de ensino era baseada na gramática e na decoreba, o que impedia a identificação com o idioma. Resultado: alguns pais de hoje não se lembram de quase nada do que viram na escola, travam quando precisam conversar com um estrangeiro e precisam correr contra o tempo para tentar dominar o mínimo necessário em relação à língua inglesa. Justamente por isso, querem evitar que o mesmo aconteça com seus filhos.

Aulas dinâmicas e lúdicas

Já se sabe – e muito se fala – que quando se aprende um segundo idioma desde pequeno, é bem mais fácil. As aulas de língua inglesa com metodologia adequada para cada faixa etária promovem um aprendizado natural e permanente, e, para a tranquilidade dos pais, as crianças podem aprender inglês brincando, ouvindo histórias, músicas, participando de jogos, atividades artísticas e de culinária. Como em qualquer outra disciplina, elas assimilam mais facilmente quando estão se divertindo.

E já que a ideia é colocá-las em contato com a língua cada vez mais cedo, muitas escolas transformaram radicalmente sua forma de ensinar inglês. Quando se trata do público infantil, em especial a primeira infância (período mais indicado para colocar os pequenos em contato com o idioma),  o ensino é dinâmico, baseado no aspecto lúdico, sempre respeitando as características, as necessidades e os interesses de cada aluno. Em uma proposta interacionista, as abordagens consideram, ainda, o contexto social, a interação e a mediação dos indivíduos. Isso vale para a educação como um todo e, também, para o ensino do inglês.

Musicas são ótimas ferramentas

O princípio de assimilação de uma segunda língua é o mesmo para crianças e adultos; é preciso se acostumar a ouvir outro sotaque. O que muda é a forma como isso deve ser feito. No caso das crianças, as músicas e cantigas em inglês, por exemplo, são ótimas ferramentas para a familiarização com a nova língua.

Outro aspecto que vem sendo bastante considerado quando o assunto é o aprendizado de uma segunda língua é a importância de permitir que a criança interaja com o idioma de forma mais abrangente. Para além do contato com músicas e livros ilustrados, é preciso oferecer a oportunidade de os alunos se expressarem e conviverem socialmente utilizando a língua inglesa. Peças de teatro, jogos e atividades que estimulem os estudantes a falar e se fazer entender vão permitir a assimilação mais rápida do vocabulário, dos sons e da pronúncia das palavras. Escolas bilíngues oferecem propostas pedagógicas bastante amplas nesse sentido.

Leia mais:

Inglês na escola: a evolução do ensino
É possível aprender inglês na escola?