Só a aprovação no vestibular importa?

O que esperar, de fato, da escola de nossos filhos? Somente a aprovação no vestibular ou queremos vê-los formados para a vida?

É muito comum os pais começarem a se preocupar com o ingresso de seus filhos na universidade logo que eles chegam na adolescência. É claro que o futuro profissional deles é preocupação constante, mas, antes de imaginá-los cursando uma faculdade, cabe uma reflexão: somente a aprovação no vestibular nos importa, ou ela é o resultado de um trabalho que começa na Educação Infantil e envolve inúmeros outros aspectos? O que esperamos de fato da escola de nossos filhos? Queremos que as escolas os preparem para enfrentar os desafios que encontrarão vida afora ou somente para passar no vestibular?

É preciso considerar a característica individual de cada estudante e sua formação como cidadão e, então, prepará-lo para muito além do vestibular e ingresso na universidade. Metodologias como o  interacionismo, por exemplo, trabalham com a visão de que não é possível oferecer ao estudante apenas a aprendizagem de conteúdos conceituais sem observar as características individuais (crenças, valores e modos de agir e pensar). Não há separação entre vida e educação.

Nesse sentido, os pais devem priorizar os processos de aprendizado que preparam o indivíduo continuamente para a promoção de seu desenvolvimento humano. É preciso estar seguro de que a escola é capaz de cumprir esse objetivo e está conectada aos interesses de seu público.

Não podemos esquecer que as pessoas vivem em realidades diversas e carregam isso consigo ao longo de sua trajetória. A educação que nossos filhos recebem precisa valorizar e aproveitar a bagagem de conhecimentos que eles possuem para que a aprendizagem seja significativa. Tudo deve ser levado em conta para garantir um processo educativo mais dinâmico, amplo e adequado à realidade do mundo em que vivemos.

Vestibular em segundo plano?

Uma pesquisa promovida por alunos do Ensino Médio de São Paulo, em parceria com o Instituto Crescer, aponta que, na visão de pais, estudantes e professores, o vestibular está em segundo plano. Quando perguntados para que a escola deve capacitar o aluno, 31,6% dos professores responderam que o principal objetivo é formar cidadãos. A maioria dos pais (55%) e estudantes (33%) responderam que a escola deve desenvolver a capacidade intelectual dos indivíduos. Entre pais e professores, nenhum indicou o vestibular como foco principal, e apenas 12% dos estudantes apontaram os exames para ingressar numa faculdade como objetivo maior.

Leia mais:

Leitura na adolescência: menos obrigação e mais prazer
Dicas para a melhor preparação antes do Enem